Câmara aprova incentivo para professores e caminhoneiros

18 de Junho de 2015, 19:30

A Câmara Federal aprovou esta semana duas emendas importantes
para professores e caminhoneiros de todo o país. A primeira foi uma emenda à
Medida Provisória 670/15 que permite aos professores deduzirem da base de
cálculo da declaração do Imposto de Renda Pessoa Física, despesas com a compra
de livros para uso pessoal e também dos dependentes. O reajuste será escalonado
por faixas das tabelas do Imposto de Renda, que varia de 6,5% a 4,5%. 

O deputado federal Vitor Lippi (PSDB-SP) destaca que o PT,
que se diz o partido da Pátria Educadora, votou contra o benefício que é um
estímulo aos professores. “O benefício é um incentivo e uma forma de valorizar
e respeitar os educadores do Brasil e foi uma luta a aprovação, pois mais uma
vez o PT votou contra os trabalhadores”.

A
segunda vitória da oposição foi a aprovação da desoneração no óleo diesel para
os caminhoneiros, contrariando mais uma vez o governo Dilma. Com apoio de todos
os parlamentares do PSDB, o Plenário aprovou por 231 votos a 143, outra emenda
à MP 670/15, que isenta o óleo diesel do PIS e da Cofins.

Para o
deputado sorocabano, a medida é uma vitória que contempla um grupo de
trabalhadores que há muito tempo vem sofrendo com os altos preços dos
combustíveis. “O óleo diesel é um dos mais caros do mundo e isso traz problemas
para os caminhoneiros, que sofrem para manter as parcelas dos financiamentos do
caminhão em dia. Para uma classe trabalhadora importante e que são responsáveis
pelo transporte de alimentos e produtos é uma vitória mais do que merecida”,
Afirma.

Com a
retirada dos tributos estima-se uma economia mensal que pode chegar a R$ 2,2
mil e com a redução do preço do combustível, a expectativa é de queda no valor
do frete. A desoneração foi promessa de governo negociada durante a greve dos
caminhoneiros que paralisou o país no início deste ano e ainda assim, o Partido
dos Trabalhadores votou contra e sofreu nova derrota com os votos favoráveis
dos tucanos.