Vitor Lippi debate parceria com universidades para o desenvolvimento regional

06 de Maio de 2016, 19:30

Sob o comando do deputado federal Vitor Lippi (PSDB/SP), o Centro de
Estudos e Debates Estratégicos da Câmara dos Deputados (CEDES) debateu nesta
sexta-feira, (6), em Brasília, parceria entre as universidades públicas e
particulares e seu importante papel no desenvolvimento das regiões brasileiras.

O encontro reuniu especialistas em pesquisa e extensão universitária,
representantes de várias instituições de ensino e órgãos do governo, além da
ministra em exercício da pasta Ciência e Tecnologia, Emília Curi. Entre os
temas, a aplicação do conhecimento científico em projetos viáveis para a
valorização e sustentabilidade das microrregiões.


Relator da proposta no colegiado, Lippi salientou que o propósito do estudo é
criar núcleos de planejamento coordenados por pesquisadores de universidades,
envolvendo professores, alunos, gestores municipais e vários atores locais, de
instituições públicas e privadas, fortalecendo as economias e sistemas
produtivos locais.

Para Vitor Lippi, o planejamento está entre as mais importantes soluções
para questões estruturantes no Brasil. “Precisamos pensar em estratégias para o
País e para isso, é preciso planejar. E sabemos que é nas universidades que
encontramos pessoas extremamente bem preparadas. Com isso, a nossa proposta é
envolver essas pessoas e fazer o planejamento da região e fortalecer a economia
regional. Sabemos que quando a economia vai bem, tudo vai bem e em caso
contrário, é tudo muito mais difícil”. Afirmou o deputado sorocabano.

Os possíveis arranjos institucionais, que serão propostos pelo Cedes
deverão envolver cerca de 28 instituições, entre elas: o Fórum de Pró-Reitores
de Pesquisa e Pós-Graduação (FORPROP); a Frente Nacional de Prefeitos (FNP); o
Conselho de Reitores das Universidades (CRUB), o Conselho Nacional de
Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), a Associação Brasileira de
Universidades Estaduais e Municipais (Abruem), o Ministério da Ciência,
Tecnologia e Inovação (MCTI), entre outros.

A presidente da Abruem, Adélia Pinheiro, destacou a importância das
instituições de ensino no interior dos estados. “A presença das universidades no
interior dos estados confere às instituições riqueza no desenvolvimento das
potencialidades dessas regiões”.

A ministra de Ciência e
Tecnologia, Emília Curi, considera fundamental entender como as universidades
podem trabalhar pelo desenvolvimento das regiões do país e salientou que é
preciso pensar em um modelo que tenha continuidade e sugeriu aos participantes um
complemento para o estudo. “Quero deixar aqui a estratégia nacional de ciência
e tecnologia para ser estudada por este Conselho de Estudos, para ser
aprimorada, e aí a cereja do bolo seria um projeto de sistema nacional de
ciência e tecnologia, um projeto amplamente debatido e que saia desta casa. ”,
finalizou a ministra.