Vitor Lippi participa de reunião do Centro de Estudos e Debates Estratégicos da Câmara dos Deputados

23 de Abril de 2015, 17:30

Nesta quinta-feira,
23, membros do Cedes estiveram reunidos para discutir e traçar diretrizes para
agenda de trabalho do colegiado.

Composto por 11
parlamentares, o grupo trabalha com o apoio dos consultores legislativos, que
dão assessoramento técnico e viabilizam o contato com as principais entidades
científicas e de pesquisa do Brasil e do exterior, com o objetivo de
impulsionar a exploração das potencialidades do País.

Para o deputado
sorocabano, participar de um grupo de altos estudos em planejamento
estratégico, como o Cedes é fundamental para o desenvolvimento de um trabalho
cada vez melhor no parlamento e em várias outras frentes. “É uma ferramenta de
trabalho que devemos priorizar. É o começo para a obtenção de melhores
resultados, de mais competitividade e soluções inovadoras, com propostas para
ajudar o Brasil”.

Durante o encontro,
Vitor Lippi apresentou proposta de debate no sentido de buscar meios de
melhorar as estruturas de organização estratégica no país. “Uma das maiores
deficiências que o Brasil tem é em estrutura de planejamento estratégico.
Quando se planeja, é possível avaliar melhor as questões do dia a dia, as
demandas da população e ações de futuras”.

Segundo o deputado,
noventa e nove por cento dos municípios brasileiros não têm condições de
realizar estudos estratégicos, seja pelas dificuldades financeiras e até mesmo,
entendimento da importância em planejar ações administrativas. “Nós temos uma
crise de planejamento. Muitos prefeitos não têm vivência em planejamento, ou o
município paga pouco, ou não existem técnicos especializados.”

Entre
as possibilidades, Lippi apontou uma alternativa de desenvolvimento de
estrutura de planejamento regional a custo quase zero. A ideia é aproveitar a
suporte das grandes universidades brasileiras, detentoras de várias áreas de
conhecimento. Com isso, professores e alunos poderão ser envolvidos em
trabalhos que irão fomentar o crescimento econômico e estrutural da região. 

 Até o final de 2016, o Centro de Estudos e
Debates Estratégicos deve entregar 12 publicações sobre problemas brasileiros e
suas possíveis soluções. O primeiro deles será um estudo estratégico com ações
para combater a crise hídrica. Este ficará pronto e disponível ao público no
dia 5 de maio deste ano.

Entre os temas que
serão tratados no Centro de Estudos, a mobilidade urbana, um dos grandes
problemas enfrentados nas grandes cidades do País, o estudo da primeira
infância, que envolve ação conjugada entre família, escola e sociedade e também
o chamado Arco Norte, que vai facilitar a saída de mercadorias, produtos e
alimentos pelos portos da região Norte.